skip to Main Content
Relatos ATPP – 8º Congresso Internacional Da Abrates (2/4)

Relatos ATPP – 8º Congresso Internacional da Abrates (2/4)

Damos sequência aos relatos dos participantes da ATPP no 8º Congresso Internacional de Tradução e Interpretação da Abrates com a participação da associada Marilia B. A. Ramires (espanhol). Veja abaixo.

Lembramos ainda que estamos nos aproximando da abertura das inscrições para o EnconTra – 1º Encontro Nacional de Tradutores Públicos e Intérpretes Comerciais, que acontece em São Paulo nos dias 16 e 17 de setembro de 2017.

Novamente, venho parabenizar a Associação dos Tradutores Públicos do Paraná (ATPP) pela iniciativa de realizar um sorteio de inscrições, para participação no VIII Congresso da Associação Brasileira de Tradutores e Intérpretes (Abrates), que envolveu o tema “Rumo ao Infinito”, realizado de 25 a 27 de maio de 2017, em São Paulo.

O evento teve a participação de diversos profissionais da área de tradução, abordando os mais variados temas (tradução juramentada, literária, audiovisual, legendagem, tecnologias aplicadas à tradução, etc.). Foi uma ótima oportunidade, não somente para atualização e envolvimento com temáticas novas, mas também para fazer contato com pessoas que atuam na área da tradução tanto as que trabalham ou as  que desejam trabalhar na nossa profissão.

Para a abertura do Congresso, o palestrante convidado foi Leandro Karnal, historiador e ex- professor de tradução em São Paulo. Apesar de não ser tradutor, Leandro Karnal discorreu sobre o tema “Cultura e Tradução”, pontuando onde a cultura é capaz de dar diferentes sentidos para a linguagem e ressaltando que o significado das palavras está sempre relacionado ao contexto cultural. Até mesmo uma expressão aparentemente simples de traduzir pode conter sutilezas culturais que, se não forem consideradas, podem gerar ruídos e colocar em risco tudo aquilo que se quer transmitir. Fez considerações, também, sobre  sermos éticos todos os dias em todos os momentos e situações. A meu ver o  tema poderia ter o título “Cultura, Tradução e Ética”. Considerei este o ponto alto do Congresso, um palestrante carismático e preciso em todos os seus pensamentos.

Especificamente sobre tradução juramentada, assisti a palestra de Ernesta Ganzo e de Elisabete Koeninger, com o título “Tradução Juramentada ao redor do mundo”. O tema discorreu  sobre as diferenças entre as TJs na Alemanha e na Itália. As palestrantes mostraram suas experiências com traduções nestes países, fazendo uma breve comparação com a situação no Brasil. Ernesta falou também sobre a tradução juramentada e a tradução certificada.

Outra palestra interessante foi a da argentina Andrea Viaggio, “Al rescate del pensamiento crítico”,  estudo feito com os alunos do curso de tradução para desenvolver a leitura crítica no processo da tradução.

Já, Camila Fernandes deu dicas sobre “Como obter um bom texto em português” para ajudar o tradutor a obter um texto claro e conciso.

Ana Cristina Kashiwagi, utilizando a planilha do excel, sentiu a necessidade de desenvolver um método para controlar a entrada e saída de seus trabalhos, como foi feito, cobrado e até os descontos dados, na palestra “Facilite o gerenciamento de seu trabalho e seus ganhos com uma planilha do excel”. E por ai vai… todas com qualidade. Gostei das palestras que assisti e do tempo dado a elas.

Este já é o 3º congresso de tradução no qual participo. Venho continuamente percebendo a grande importância e relevância das trocas de informações  entre  os tradutores que já estão no mercado de trabalho e os que estão buscando uma oportunidade na área. No evento, também tive a oportunidade de encontrar colegas de vários estados,  compartilhando nossas experiências profissionais e diferentes realidades da tradução.

Back To Top
Search