skip to Main Content
Relatos ATPP – IX Congresso Da Abrates (1 De 2)

Relatos ATPP – IX Congresso da Abrates (1 de 2)

 

Confira o relato do associado Jorge Ailan, que esteve presente no IX Congresso Internacional de Tradução e Interpretação da ABRATES.

A cidade maravilhosa nos recebeu com surpresa na inauguração do 9º Congresso da Abrates. Um dia frio, para os padrões do Rio, cinzento e ambientado com uma chuva leve, foi recebendo aos poucos os participantes entusiasmados por ver as novidades e principalmente pela condição única que permite o intercâmbio de experiências e incremento da rede profissional.

A inauguração começou com uma novidade importante referente à mudança na diretoria da Abrates. Após um ato de entrega de cargo, o novo diretor, Petê Rissatti, se apresentou formalmente e abordou o tema da diversidade e inclusão, tanto na sociedade quanto nos profissionais da área de tradução. Foi seguido por uma apresentação da intérprete Rane Souza reforçando a inclusão no trabalho da tradução. A sala estava lotada e os aplausos marcaram diversos momentos da inauguração. O frio atacou de novo e a organização, acostumada com o calor, não acertava os ajustes do ar condicionado. Muitas pessoas sentiram o impacto, tanto que a confraternização foi muito rápida, fazendo que muitos grupos se reunissem em outros locais para jantar e intercambiar experiências.

O sábado começou muito agitado e o calor humano foi tomando conta do lugar, ninguém imaginava que o fechamento seria completamente diferente. Da mesma forma que aconteceu no congresso em SP em 2017, o desafio era escolher uma palestra em cada horário, embora muitas delas eram demasiado específicas para participar da análise de escolha. Na linha de palestras que escolhi, posso dizer que o conteúdo foi muito bem abordado e tratado, e os palestrantes se mostraram abertos a esclarecimentos no final de cada palestra. Forte foi a abordagem em relação a CAT Tools e Machine Translations. Esta última ferramenta de tradução chamou a atenção devido ao desenvolvimento da IA, cada vez melhor e sendo uma opção a considerar visando o incremento de produtividade; particularmente me interessei pelas possibilidades e pretendo unir esta ferramenta junto a uma CAT Tool.
Um grande inconveniente neste congresso foi que as salas para as palestras eram compartilhadas, então haviam dois grupos falando de assuntos diferentes. Fez-se uso de headsets para melhorar a experiência, mas alguns grupos eram efusivos e acabavam atrapalhando a outra palestra. Este problema seria amenizado no período da tarde, assim como o problema do frio, pois o ar condicionado foi totalmente desligado depois de muita reclamação. O coffee break foi o ponto que marcou a transição no congresso, muito agitado e com as pessoas mais participativas na socialização, os patrocinadores muito atentos e convidativos a oferecer seus serviços e produtos assim quanto às possibilidades de parcerias.

Lamentavelmente não podemos participar de todas as palestras e normalmente o par de idiomas é português/inglês, mas neste evento houve palestras focadas no par de idiomas português/espanhol, como foi a palestra “Tradução de documentos societários” por Carina Adriana Barres; foi fantástica a abordagem, já que Carina, como advogada, apresentou uma série de situações a resolver com uma claridade só de quem conhece na prática o tema.

Surgiram algumas sugestões a serem feitas, como, por exemplo, às vezes os títulos das palestras não ajudam muito a entender o que será tratado, isto pode nos fazer perder excelentes palestrantes só por um tratamento de apresentação inapropriado.

Após as palestras do sábado à tarde, as turmas estavam muito animadas e prosseguiram com reuniões informais em diversos locais cariocas, que nos receberam com todo o seu charme, momento fantástico para o fortalecimento e crescimento do setor.

Domingo, último dia do evento, o sol aos poucos foi aparecendo até nos exibir a beleza do Rio em quase todo seu esplendor.  As pessoas manifestavam querer mais dias de eventos, e foi marcante, já que desta forma podemos entender a necessidade dessa interação dos tradutores. Antes que esqueça, esteve muito presente o tema interpretação em Libras e foi animador ver como este grupo de profissionais está crescendo.

Finalmente, após um sorteio rápido, provavelmente por causa do jogo do Brasil, fechou-se o congresso e anunciou-se o próximo, que será em São Paulo em 2019. Sem muitas demoras dei uma caminhada por Copacabana e Ipanema e me despedi da cidade cartão postal.

Agradeço à ATPP por fazer com que tenha sido possível esta experiência para mim e para as pessoas do Paraná e outros estados que dividiram este excelente momento comigo.

Grande abraço e até a próxima.

Back To Top
×Close search
Search